Municipal de Futebol de São Marcos   30/10/2017 | 13h43     Atualizado em 30/10/2017 | 15h56

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Esporte: prefeitura suspende Municipal de Futebol após briga entre Canelada e Pedras Brancas

Abertura das semifinais no Elias Soldatelli neste sábado (28) teve empates por 1x1 entre Morro x Progresso e Canelada x Pedras Brancas, jogo que terminou com tumulto entre jogadores e torcida. Violência também marcou semifinal da Copa Vales da Serra

Partida entre Pedras Brancas e Canelada terminou com violência no sábado (28)
Partida entre Pedras Brancas e Canelada terminou com violência no sábado (28)

A violência manchou o esporte são-marquense neste final de semana. Se na sexta-feira (27) a semifinal da Copa Vales da Serra de Futsal na AMSM terminou com agressão (segundo testemunhas com uso de faca, mas sem ocorrência policial registrada) envolvendo integrante do Bonde das Casinhas e torcedor do Elite, no sábado (28) foi a vez de Canelada e Pedras Brancas protagonizarem um episódio que pouco tem a ver com o sentido do esporte. Os dois times empataram por 1x1 na partida de ida das semifinais realizada no Estádio Municipal Elias Soldatelli. Após o apito final, teve início uma briga que, segundo o Diretor Municipal de Esportes Andrigo Biasotto, envolveu atletas e diretoria do Canelada e torcedores do Pedras Brancas. Diante do tumulto e dos episódios de violência ocorridos do lado de fora do gramado, a Brigada Militar (BM) foi chamada, mas não compareceu ao local. "Eles disseram que não podiam entrar no campo e que estavam numa ocorrência", relatou Biasotto ao L’Attualità. Reunião foi realizada na manhã desta segunda (30) com o prefeito Evandro Kuwer. "Decidimos suspender temporariamente o campeonato", anunciou Andrigo, salientando que nota foi divulgada no site da prefeitura comunicando a decisão. "No próximo sábado (4) não tem como fazer os jogos. Precisa colocar segurança e arrumar os estragos, porque foram quebradas telas próximas às arquibancadas", relatou.

 

Andrigo lamenta o ocorrido. "Não tem cabimento. Faltou bom-senso e respeito. Coisas assim não podem mais acontecer no esporte em São Marcos. Houve agressão verbal, física e moral", assinalou, lembrando que a prefeitura está investindo em torno de R$ 20 mil na competição. Ele disse que  o assunto está sendo analisado internamente e que uma decisão será tomada em breve. Não está descartada a possibilidade de que os dois times sejam punidos; mesmo que, segundo Andrigo, os atletas e dirigentes do Pedras Brancas não tenham se envolvido na briga. "No caso do Canelada os jogadores e comissão técnica estavam envolvidos, mas não vimos jogadores do Pedras Brancas, apenas torcedores. Mas já houve casos de times serem punidos por condutas erradas de seus torcedores, como aquele ano em que o Grêmio foi suspenso da Copa do Brasil porque uma torcedora cometeu racismo contra o goleiro do Santos", recorda. Biasotto disse que o regulamento não prevê punições para casos como esse. "Por brigas fora do campo de jogo o regulamento não diz nada", comentou. Pelo que apurou o L’Attualità, dos 74 artigos do regulamento apenas o 15º trata do assunto. Entre outros pontos, destaca que "se houver tumulto generalizado, a equipe infratora será submetida às sanções do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD)". Contudo, o artigo determina que a(s) equipe(s) só serão desclassificadas "se os casos impossibilitarem a continuação da partida", o que não ocorreu na confusão entre Pedras Brancas e Canelada, ocorrida após o término do jogo e, segundo Andrigo, não relatada pelo árbitro na súmula.

Morro e Progresso já foram punidos por episódios de violência no Municipal

Semifinal da Copa Vales da Serra entre Elite 5x3 Bonde teve agressão na arquibancada da AMSM
Semifinal da Copa Vales da Serra entre Elite 5x3 Bonde teve agressão na arquibancada da AMSM

Na outra semifinal do Municipal de Futebol de Campo de São Marcos, realizada sábado (28), no Elias Soldatelli, Morro e Progresso também empataram por 1x1. O jogo transcorreu com normalidade e a decisão da vaga à final ficou para a partida de volta, ainda sem data para ser disputada. Por ter melhor campanha na primeira fase, o Progresso joga pelo empate. É a mesma situação do Pedras Brancas diante do Canelada, caso as duas equipes não sejam punidas. Na fase classificatória o Pedras Brancas terminou em 1º com 18 pontos, seguido pelo Progresso, com 16. O Morro ficou em 3º, com 14 pontos, e o Canelada foi o 4º, com 11. Contatados pelo L’Attualità, integrantes do Morro lembraram que casos semelhantes ocorridos no Municipal terminaram com punições aos clubes envolvidos. Foi assim com a Associação Atlética Ouro (antigo nome do Morro) em 2005, quando torcedores invadiram o campo do Elias Soldatelli e o clube foi punido. E foi assim com o Progresso em 2010, quando houve agressão ao árbitro em partida disputada em Pedras Brancas e o time ficou afastado do campeonato também no ano seguinte. "Agora vamos ver se funcionam as leis do campeonato", escreveu integrante do Morro em postagem no Facebook, lamentando que o tumulto generalizado na arquibancada tenha ocorrido em meio às crianças. "O mínimo que podem fazer é punir atletas envolvidos e diretorias. Em 2005 fui punido por estar no vestiário tomando banho enquanto rolava briga lá fora. Vamos ver agora", opinou atleta do Progresso em comentário na rede social.

 

O L’Attualità entrou em contato com a diretoria da Progresso, que preferiu não se manifestar: tendo em vista a violência e a falta de espírito esportivo que tomou conta do Municipal, o clube vai aguardar que a prefeitura tome a decisão, mesmo entendendo que o correto seria não parar o campeonato, apenas punir os envolvidos e seguir com a competição. O diretor municipal de Esportes Andrigo Biasotto disse que se reunirá com representantes das equipes semifinalistas. "Primeiro quero conversar com os presidentes de Pedras Brancas e Canelada", ressaltou. Em relação à situação da Copas Vales da Serra de Futsal, Andrigo disse que na tarde desta segunda-feira (30) se reunirá com a organização da competição regional que envolve equipes de São Marcos, Flores da Cunha, Antônio Prado, Ipê, Nova Roma do Sul e Nova Pádua. "Esse é o terceiro ano que tem esse campeonato e o primeiro que São Marcos participa. Já teríamos um time garantido na final para jogar contra o ganhador de Botafogo de Antonio Prado e Cerro Monte Cristo de Flores da Cunha. Mas agora tem que ver o que será feito, porque a AMSM disse que não vai mais ceder o ginásio para o jogo de volta da semifinal e o Pavilhão da Ameixa oferece ainda menos segurança", apontou Biasotto, lembrando que o Elite ganhou do Bonde por 5x3.