Radio Caxias - Opinião   14/11/2017 | 15h23     Atualizado em 14/11/2017 | 15h25

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Diretor da CIC acredita que o pior já passou na economia caxiense

Foto: Divulgação/Internet.
Foto: Divulgação/Internet.
A Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul divulgou a carta econômica referente ao terceiro trimestre deste ano. O documento, assinado pelo Conselho de Economia e Finanças da entidade, lista as principais tendências para o próximo ano, levando em consideração o desempenho do País até agora.

Em 2017, a economia caxiense já cresceu 4,3%. No acumulado dos últimos 12 meses, subiu pouco mais de 1%. Indústria, comércio e serviços apresentam lenta recuperação desde o ano passado, em um cenário conhecido pelos economistas como “despiora”.

O diretor de Economia e Finanças da CIC, Astor Schmitt, acrescenta que as empresas estão tecnicamente saindo da recessão, dando sinais de crescimento real. Segundo ele, essa tendência fortalece a convicção de que o pior já passou.

Sobretudo, enfatiza que a economia caminha a passos lentos, se descolando do aspecto político, até então determinante ao mercado. Dessa forma, ele espera aumento da confiança de investidores. Isso depende também, conforme o diretor, do impacto das eleições em 2018, pois se a linha econômica for alterada novamente, poderá haver instabilidade.

A carta econômica da CIC indica que, em Caxias do Sul, a geração de empregos aumentou, mas não ao ponto de impactar na taxa de desemprego. No acumulado de 2017, o saldo é positivo de mil contratações.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia