Vacaria   16/05/2018 | 11h42     Atualizado em 16/05/2018 | 11h45

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Polícia Civil prende suspeito de Feminicídio em Vacaria

textos
textos

 

DAS CIRCUNSTÂNCIAS DO CRIME:

No dia 08.04.2018 (domingo), foi comunicado o desaparecimento da vítima MICHELE DE STEFANI SOUZA,  desde a noite de 06.04.2018, ocasião em que saiu de sua residência levando algumas peças de roupas e não foi mais vista.

 

No dia 10.04.2018 (terça-feira), foi encontrado às margens da estrada do graneleiro, o corpo de MICHELE DE STEFANI SOUZA, a qual estava seminua, com uma sacola amarrada na cabeça e com sinais de agressão pelo corpo, ainda viva, principalmente no rosto.

 

MICHELE foi assassinada na noite do 06.04.2018, sendo causa da morte uma facada no pescoço e um tiro na cabeça.

 

DA INVESTIGAÇÃO:

Em vista da gravidade dos fatos, equipe de policiais da DPPA Vacaria – Posto da Mulher, deram início imediato às investigações, com apoio da DP Vacaria – Seção de Investigação.

 

Com pouco mais de um mês de investigações, a polícia civil desvendou a autoria do crime, arrecadando provas robustas da participação de CASSIANO FONSECA DETOGNI, ex-companheiro da vítima.

 

DA PRISÃO:

Na manhã desta quarta-feira, dia 16 de maio de 2018, policiais civis integrantes da DPPA Vacaria – Posto da Mulher, e da Seção de Investigação da DP de Vacaria prenderam CASSIANO, que se encontrava trabalhando em uma chácara no Km 04, em Vacaria.

 

Ainda foi cumprido mandado de busca e apreensão da casa de CASSIANO, localizada em propriedade rural na estrada antiga que vai para Antônio Prado, apreendendo uma espingarda calibre .22, munição calibre .22, celulares, chips, etc.

 

O preso, CASSIANO FONSECA DETOGNI,  nascido em 26/05/1987, tem 30 anos de idade, e é natural de Vacaria – RS.

 

O preso irá responder inquérito policial por crime de homicídio qualificado (FEMINICÍDIO) e deverá ser levado ao tribunal do Júri nos próximos meses.

 

Foi apreendido ainda um automóvel gol, branco, possivelmente utilizado pelo assassino durante o crime.

 

ANDERSON SILVEIRA DE LIMA,

Delegado de Polícia.

 

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia