Radio Caxias - Atendimento   13/09/2018 | 09h31     Atualizado em 13/09/2018 | 09h35

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Prefeitura dá prazo para Centro de Saúde do Trabalhador deixar espaço e Estado assumir gestão do serviço

Foto: Alex Schneider/RádioCaxias
Foto: Alex Schneider/RádioCaxias

Com o anúncio da ampliação da farmácia do Pronto Atendimento (PA) 24 Horas divulgado pela Prefeitura de Caxias do Sul nesta quarta-feira (12), o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest Serra) será devolvido ao Governo do Estado.

O projeto prevê que a farmácia passe a funcionar no segundo andar do Complexo Centro à Vida, onde hoje está localizado o Cerest Serra. Já o espaço ocupado, atualmente, pela farmácia será usado para expansão da sala de observação do Postão.

Apesar de ressaltar a importância do Cerest, a administração informa que foi protocolado um ofício ao governador José Ivo Sartori (MDB) solicitando que o Estado reassuma integralmente a gestão do Centro a partir do dia 1° de outubro.

De acordo com dados divulgados pelo Município, o serviço atende 49 cidades da Serra, mas apenas Caxias auxilia no financiamento. A Prefeitura informa que a equipe é composta por servidores municipais e que a folha de pagamento chega a R$ 80 mil ao mês, com apenas R$ 35 mil de contrapartida do governo gaúcho. Gastos de viagens dos profissionais pela região e custos operacionais também são citados.

Além disso, o convênio assinado em 2007 entre Estado e Prefeitura, e expirado em 2010, e que não teve renovação, também é justificado.

De acordo com o governo municipal, os sete servidores que fazem parte da equipe vão retornar para as funções de origem, conforme concurso público, e vão reforçar a saúde pública da cidade.

A 5ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), que representa o Estado, foi procurada para repercutir o assunto, no entanto, alegou que havia recebido o documento recentemente da Prefeitura, informando da decisão, mas que precisava analisá-lo junto ao jurídico. A titular da 5ª CRS, Solange Sonda, ficou de se manifestar sobre o caso na próxima semana.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia