Saúde   10/10/2018 | 12h47     Atualizado em 10/10/2018 | 12h50

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

Presidente do Conselho de Saúde diz que metade dos médicos do Postão deve se exonerar

Foto: Alex Schneider / Rádio Caxias
Foto: Alex Schneider / Rádio Caxias

A confirmação oficial do fechamento do Postão 24 Horas para reforma ocorreu pouco antes da reunião do Conselho Municipal de Saúde (CMS), na noite desta terça-feira (09). A medida anunciada pelo Executivo pautou o encontro. Conforme a presidente do colegiado, Fernanda Borkardt, o governo não consultou o órgão para tomar a decisão.

Segundo ela, a reforma é necessária, mas o fechamento poderia ser evitado. A presidente questiona o fato de o Ministério Público também não ter consultado o Conselho. Fernanda reitera que o prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra (PRB), não pode fechar um serviço, que atende cerca de 400 pessoas todo dia. Para ela, o Executivo teria que ter um esquema de atendimento melhor definido.

Outra preocupação do Conselho de Saúde é sobre a intenção manifestada por cerca da metade dos mais de 40 médicos do Postão em se exonerar do serviço público municipal.

Ainda de acordo com Fernanda Borkardt, caso se confirme a exoneração de grande quantidade de médicos, daqui há seis meses, quando o Postão reabrir, não haverá profissionais suficientes para prestar atendimento. Com isso, o Executivo teria que contratar novos profissionais. Segundo ela, estaria aí o momento para o governo municipal pleitear a terceirização do Pronto Atendimento.

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia