Rádio Esmeralda - Vacaria   16/05/2017 | 09h23  

FacebookTwitterPinterestGoogle+LinkedIn

É melhor se exercitar antes ou depois do café da manhã?

textos

É melhor tomar o café da manhã antes ou depois de fazer exercícios? Depende. Existem estudos, baseados em padrões diferentes, que sugerem uma alimentação pré-treino enquanto outros recomendam se exercitar em jejum. Mas, qual é o ideal para uma pessoa comum? Para responder essa pergunta, a BBC Mundo, serviço em espanhol da rede britânica BBC, conversou com Daniel Escaño, nutricionista especialista em alto rendimento na NutriciónDE: Alto Rendimiento Deportivo, na Espanha.

 

Para o especialista, um atleta de alto rendimento pode se beneficiar de um treino em jejum. No entanto, para uma pessoa normal, fazer um treinamento em jejum com o objetivo de reduzir o peso é um conceito contraditório. “A metodologia mais eficiente para diminuir os níveis de gordura do corpo é uma boa alimentação e, depois, um treino com intervalos de alta intensidade.”, afirma.

 

Alimentação de qualidade

 

Segundo Escaño, levando em consideração uma pessoa que pratica atividade física regularmente, de uma a três vezes por semana, e com um índice de massa corporal considerado normal, uma alimentação de qualidade antes do exercício é essencial para um bom rendimento.

 

“Não há sentido em se submeter a uma situação de stress partindo de uma base já degradada, uma vez que o indivíduo passou por um longo período de jejum durante as oito horas de sono. Quando ele se levanta, precisa ingerir algo para que o organismo possa funcionar corretamente e fazer o trabalho muscular.“, explicou Escaño. 

 

No entanto, é preciso saber escolher o que comer. Dois fatores são importantes: a qualidade do alimento e a quantidade de calorias e nutrientes que o exercício requer.

 

Para quem treina de manhã, o ideal seria tomar café da manhã cerca de duas horas e meia antes dos exercícios. Mas como isso realidade está distante da realidade da maioria das pessoas, Escaño recomenda a ingestão de uma pequena porção de alimentos de fácil digestão cerca de 30 minutos antes da atividade física.

 

“Uma fruta como uma banana, ou um laticínio desnatado, opções que não sejam muito gordurosas. Também pode ser uma torrada ou uma barra de cereais”, recomenda o nutricionista.

 

Já os treinos em jejum, segundo Escaño, são mais indicados para atletas de alto rendimento, que já estão acostumados com o esforço elevado. “Eles partem do princípio de que têm uma condição física superdesenvolvida e, já próximo ao limite de suas possibilidades, buscam um elemento que os permita melhorar ainda mais”.

 

Pós-treino

 

Neste caso, após o treino, a pessoa deve tomar um café da manhã mais completo, com alimentos que ajudem na recuperação do corpo, como um pão ou um suco de frutas. Além disso, para que a massa muscular de fato aumente, é necessário regenerar as lesões provocadas no músculo pelo exercício – processo que depende da ingestão de proteína, encontrada em carnes, ovos e leite, por exemplo. Especialistas recomendam o consumo de fonte de carboidrato e outra de proteína até 1 hora depois da atividade física.

 

O objetivo final é ter um treino de qualidade. “O que a maioria das pessoas fisicamente ativas busca é melhorar, estar mais forte, melhorar suas marcas e aguentar mais. Para isso, é preciso estar a 100% e a alimentação é vital para conseguir isso”, ressalta Escaño.

 

Comentários

Carregar mais comentários Comentar notícia